quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

Lula nega acusações a juiz do DF e diz que Palocci mentiu ao depor contra ele

Resultado de imagem para lula negaO ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou nesta quarta (19) as acusações que pesam sobre ele em um dos braços de investigação da Operação Zelotes e acusou o ex-ministro Antonio Palocci de ter mentido ao Ministério Público.
O petista afirmou que a denúncia não passa de uma "grande mentira" e que Palocci deve ter recebido um "prêmio" para depor contra ele.

Lula foi ouvido em audiência na 10ª Vara Federal, em Brasília, pelo juiz Valisney Oliveira, responsável pela ação penal da Zelotes.

O ex-presidente é acusado de corrupção passiva por supostamente ter participado da "venda" da Medida Provisória 471, editada em 2009 e que beneficiou empresas do setor automobilístico.
A medida prorrogou por cinco anos os incentivos fiscais para montadoras instaladas nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Logo no início da audiência, Lula foi questionado se cometeu o crime de corrupção na edição da medida provisória. 

"Essa é uma das grandes mentiras contadas. Eu estou aqui para desvendar tudo e provar porque o MP [Ministério Público] mentiu na acusação e porque a Polícia Federal mentiu no inquérito", afirmou. 
O ex-presidente foi denunciado em setembro de 2017, junto com o ex-ministro Gilberto Carvalho, seu ex-chefe de gabinete, e mais cinco pessoas.

Os procuradores alegam que lobistas das empresas automotivas prometeram o pagamento de propinas a intermediários do esquema e a agentes políticos, entre eles Lula e Carvalho.
O destino do dinheiro, segundo a acusação, seria o custeio de campanhas eleitorais do PT.

"Estou cansado de tanta mentira contra mim, de tanta leviandade, de tantas insinuações. Eu duvido que tenha um juiz, um procurador, um delegado ou um deputado que diga o seguinte: 'Eu vi um empresário que deu cinco centavos ao Lula'", disse o petista.
As acusações contra ele foram reforçadas em depoimento do ex-ministro Palocci, em 2018.

Palocci foi ouvido como testemunha no caso e disse que o filho de Lula, Luiz Cláudio, recebeu dinheiro de um dos lobistas que fizeram o acerto.

"A única explicação é que ele deveria estar ganhando um prêmio por fazer a delação e por isso ele se prestou a contribuir com o Ministério Público com as mentiras que ele contou", disse.
Lula foi questionado sobre quando recebeu e se conversou com Mauro Marcondes, apontado como um dos lobistas que intermediou as negociações.

O petista disse que já recebeu Marcondes no passado, mas que nunca esteve com ele sozinho e em nenhuma hipótese conversou sobre a edição da medida.
O ex-presidente também saiu em defesa de Carvalho, que já foi questionado sobre os encontros que teve com Marcondes.

"A relação que Gilberto Carvalho tinha com Mauro Marcondes era era eminentemente profissional. (...) Ele era meu chefe de gabinete. Estava lá para atender as pessoas. E atender bem. Ele deveria ter sido acusado se não tivesse atendido", disse Lula.

A audiência desta quarta foi uma das últimas etapas desta ação penal, que está na fase final, de depoimento dos réus. A próxima etapa são as alegações finais das partes. 
Em outra ação ainda no âmbito da Zelotes, Lula responde por supostas negociações irregulares que levaram à compra de 36 caças do modelo Gripen, da Suécia, pelo governo brasileiro. 
 
Fonte: Folhapress

Nenhum comentário:

Postar um comentário